musica

segunda-feira, 23 de março de 2015

Nada que possa dizer










O Outono chegava manso
Trazendo um suave vento
E nossas vozes calaram

Corações partidos choram
E se calam para sempre
Sinto-me tolo e incapaz

Balas perdidas, cantos, risos
Ruas escuras, um vento frio
Teima em soprar – Lembranças

Novamente a dor aflora
Devorando tudo a sua volta
Ficamos mudos e incapazes

Nestas horas, Deus se cala
Impotente , ausente, dorme
Sonhando com estrelas

Sinto mais uma vez o vazio
De nada poder fazer
E o tempo não volta atrás

Sempre estas lágrimas
Infames, que nos calam
Balões soltos no ar

Gritos roucos asfixiam
Roubam o ar – é tão pouco
Nada posso lhe dizer

Foi no início do Outono
Que tua voz calou
Memórias esquecidas

Lembranças, risos, falas
São pisoteadas – um sopro
De vida vaga pelos ares

O Outono chegava manso
Trazendo naquela noite
Mensagens indecifráveis.
                                          

                                                           Março.2015
                              In Memória de DuPavani
                                 ++20.03.2015++                                                      

Um comentário:

Eu, um ser... disse...

Lindo... Ele amaria.

Postar um comentário